A verdadeira história de Phineas e Ferb


No ano de 1993 em uma casa humilde, viveu uma garota chamada Candace Flynn, que tinha esquizofrenia. Quando Candace era apenas uma criança, seus pais se divorciaram, deixando-a aos cuidados da sua mãe que nunca foi de dar muita atenção a ela. Ao nascer seu irmão Phineas, que sofre de hiperatividade e Ferb, seu meio-irmão que nasceu com um caso grave de retardo mental (que o impedia de falar), as coisas foram de mal a pior para o desenvolvimento de Candace.

Por causa da criatividade da jovem, ela sempre imaginava seus irmãos construindo “coisas” e vivendo grandes aventuras. Durante o dia, Candace contava a sua mãe sobre “as grandes aventuras que seus irmãos viviam” e é claro que a mãe da jovem não via nada. Preocupada com isso, a mãe vai a um especialista, o psiquiatra Heinz Doofenshmirtz, que deu remédios fortes para Candace tomar; esses medicamentos psiquiátricos que foram destinados para acalmar a jovem, só pioraram sua situação e a levam a um vício crescente que a introduz a experimentar drogas cada vez mais pesadas.

A garota, cansada de ninguém acreditar que suas histórias sobre os seus irmãos fossem reais, decide escrever em um diário tudo que acontecia na vida dos seus irmãos... nas suas criações e aventuras. Em 2007, Candace Flynn, de 14 anos é encontrada morta em seu quarto, juntamente com uma nota de suicídio escrita na última página de seu diário; de acordo com médicos legistas, Candace morreu de uma overdose intencional de várias drogas. Ao fim de 2007, a mãe de Candace, aflita com tudo, decide vender essa história (que estava no diário), para o Disney Channel, que mostra interesse na compra. E em 01 de fevereiro de 2008, uma história distorcida e reforçada chamada de "Phineas e Ferb" estréia mundialmente e é adorada por todos, que sem saberem a verdade, passam horas na frente da TV assistindo essa doce história feliz.


­ 
Comentários
Comente, mas não esqueça que seu pai ou sua mãe podem estar lendo o que você escreve.